Falando de improviso

Em determinadas situações somos pegos de surpresa e solicitados a fazer uma apresentação de última hora. A insegurança de falar em público, o nervosismo pela escassez de tempo, a falta de um discurso pré-elaborado e, até mesmo, o desconhecimento ou despreparo sobre o tema a ser abordado são alguns fatores que podem comprometer o desempenho do orador e o resultado da dissertação.

Falar de improviso requer treinamento e habilidade, pois trata-se de uma das falas mais difíceis. Aqui daremos algumas dicas que possam lhe auxiliar a lidar com essa ocasião inesperada.

 

. Prepare-se para abordar um assunto que você conheça e tenha alguma relação com o conteúdo a ser originalmente apresentado. Mostre naturalidade, segurança e entrosamento com o tema.

. Um bom apresentador nem sempre é aquele que entra diretamente no assunto que pretende abordar já nos primeiros instantes da exposição. Criar uma expectativa adicional nos ouvintes deixa-os mais interessados em receber as informações da mensagem principal.

. Use como apoio notícias recentes para tornar o improviso mais interessante. O teor da conversa que manteve há pouco também pode ser um ótimo recurso.

. Seja breve! Quanto menos você falar, menores as chance de errar ou cometer gafes.

. Bata um papo com a plateia e seja bem-humorado! Apresentações bem-sucedidas demandam energia, entusiasmo e emoção. Os ouvintes não demonstrarão interesse pela mensagem se nem mesmo você transparecer envolvimento pelo assunto.

 

Encare o improviso como um teste e uma grande possibilidade de aprendizado, pois esta é uma forma de garantir autoridade e maturidade para enfrentar situações adversas numa apresentação.

Ana Cláudia Bohler
COPESA / UNITAU

About the author /


Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *