Quero fazer Fisioterapia, e agora?

O Fisioterapeuta trabalha na prevenção de doenças e de lesões, trata acidentes ou vícios de postura, realiza terapias para melhorar a capacidade física e funcional do paciente, ajuda na recuperação de pessoas com distúrbios neurológicos, cardíacos ou respiratórios e trabalha com pessoas com deficiência física ou mental.

Na Universidade de Taubaté (UNITAU) o curso de Fisioterapia existe há 21 anos e é dividido em oito semestres. Além disso, está entre os melhores do Estado, alcançando nota quatro no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade). Mais de 1.100 acadêmicos já foram formados pela UNITAU, e mais 90% estão empregados em instituições de referências.

O curso oferece a maior carga horária pratica da região, com atividades já no primeiro semestre. “A Clínica de Fisioterapia é a maior e mais bem equipada da região, propiciando uma formação profissional de qualidade. Os acadêmicos do curso de Fisioterapia da UNITAU também atuam no Hospital Regional do Vale do Paraíba, no Hospital Universitário e em Unidades de Saúde da Família de Taubaté por meio da disciplina de Prática Fisioterapêutica Supervisionada”, explica a diretora do Departamento de Fisioterapia, Profa. Dra. Máyra Cecília Dellú.

Os alunos têm a oportunidade de conhecer profissionais da área, por meio de encontros promovidos pelo Departamento. “Anualmente, organizamos o Meeting de Fisioterapia e a Semana Pedagógica do curso, onde propiciamos o contato do acadêmico com o mercado de trabalho e com a pesquisa”, afirma a professora Máyra.

A ex-aluna de Fisioterapia, Ana Paula Veloso formada em 2015, é um exemplo de dedicação. Quando estava no último ano da graduação, foi convidada por uma professora para trabalhar em sua clínica. “Eu queria seguir na área  cardiorrespiratória e conversei com a professora Karla para ela me indicar um lugar para fazer pós e ela perguntou se eu queria trabalhar com ela, eu aceitei nunca e mais parei. Na clínica trabalhamos com reabilitação cardíaco pulmonar e pós-operatório de cirurgia bariátrica”, afirma a ex-aluna.

Além de trabalhar na clínica com sua ex-professora, Ana Paula também trabalha em outro consultório. “Fiz contato com outros médicos e com pneumologistas e comecei a fazer exames de espirometria em outra clínica. Também atendo pacientes a domicílio, que são pacientes idosos com reabilitação cardíaco-pulmonar”, conta. Além das clínicas, a fisioterapeuta já trabalhou em unidades de terapia intensiva (UTI).

Ver a reabilitação dos pacientes é a melhor parte de seu trabalho. “Ao ver a melhora, a gratidão dos pacientes com a melhora, ao ver a evolução deles e o dia a dia, a gente percebe o valor daquilo para a pessoa, sabemos que a Fisioterapia é muito importante e é essencial o paciente saber disso”, conclui.

Julia Carvalho

ACOM / UNITAU

 

Foto: Leonardo Oliveira / ACOM

About the author /


Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *