Arquitetura e Urbanismo, a criatividade trabalhada a cada dia

Com reconhecimento em 1982, o curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Taubaté (UNITAU) busca formar profissionais com um olhar diferenciado, visando melhor qualidade de vida por meio de construções urbanas e rurais. No dia a dia, a profissão não é metódica, cada arquiteto desenvolve a sua forma de pensar e de criar. Para o graduando do curso, não é diferente.

Para entender mais sobre a graduação, é preciso compreender que um arquiteto começa um projeto em cima de uma necessidade, seja ela simples, ou não. Para o Prof. Me. Flávio Brant Mourão, arquiteto há 40 anos, o Brasil passou por um período difícil para o crescimento da profissão. ”Hoje, o mercado fornece mais oportunidades, porém está cada vez mais exigente. Temos um curso integral por isso. Para formar um arquiteto diferenciado, é necessária uma imersão dentro dos estudos”, afirma o professor.

A graduação tem duração de cinco anos e as aulas acontecem em um prédio que é um patrimônio histórico da cidade de Taubaté, um edifício remanescente do conjunto da Companhia Taubaté Industrial (CTI).

Para Ariel Saad Janousek, que iniciou o curso aos 18 anos, o estudo da área mostrou novas possibilidades sobre as estruturas da cidade nas atividades realizadas no Departamento. “Nas aulas, os professores sempre inovam, tentam mudar os temas e são várias atividades por todo o Departamento. Isso ajuda a gente a abrir nossa mente, a enxergar tudo diferente e a ser criativo”, ressalta Ariel, que está indo para o terceiro semestre.

Já para Daniel Guinsburg, cursar Arquitetura e Urbanismo é uma forma de unir o trabalho com uma área com que ele se identifica. Com 36 anos, Daniel é fotografo de uma revista de arquitetura e seu ingresso na Universidade se dá por querer se especializar ainda mais. “Quando eu estudava Engenharia, não havia essa interação que temos aqui, essa convivência é ótima! Sou feliz por ter feito essa escolha. Aqui, é como se fosse uma grande família e faço o que gosto com ela”, enfatiza o estudante do segundo semestre.

Segundo o Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU), há 252 áreas para atuar dentro de Arquitetura e Urbanismo. Mesmo sendo considerada uma matéria de exatas, tem grande base curricular nas humanidades, é preciso saber a ligação da história e da arte para ser um bom profissional. “Digo que o arquiteto é o maestro. É por ele que sairá o modelo, a engenharia civil, a hidráulica, a elétrica e tudo mais. Ele inicia tudo isso. O curso é a chance de começar esse processo de formação”, conclui o Prof. Me. Flávio Brant Mourão.

 

Alan Kevin
PRE/UNITAU

About the author /


Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *